Farmácia mais perto do seu mouse

by

Ficar sem aspirina ou sal de frutas em casa é a mesma coisa que ficar pelado no meio da rua. E a lei de Murphy sempre se aplica nesses momentos: quando você está com dor de cabeça ou aquela azia, a farmácia mais perto é a três quarteirões – cada um com 1km de extensão – da sua casa. Por pura curiosidade, e também porque nunca me passou pela cabeça tal idéia, de verificar se as farmácias possuem websites. E não que é que elas têm mesmo?🙂

Antigamente, farmácia era só para comprar remédios. Depois, com o passar do tempo e com o aumento de desejos do consumidor (sejam eles supérfluos ou não, vai da opinião de cada um), esses estabelecimentos comerciais quase se tornaram lojas de departamento. Quer comprar um creme hidratante? Vá à farmácia. Esqueceu de comprar justo o bronzeador bem na hora de viajar para a praia? Vá à farmácia.

Lembro que até foi uma briga entre mercados e farmácias, pois o serviço quase que se igualou. As estratégias de distribuição das empresas também se concentraram nesses novos pontos de vendas: quem nunca passou em frente a uma farmácia, o calor escaldante derretendo seu corpo, e eis que se vê logo na entrada um refrigerador só de bebidas super refrescantes.

O serviço começou a melhorar quando instalaram o Delivery. A maioria das redes estabeleceram um tele-vendas ou 0800 para que fossem entregues os remédios em qualquer lugar. Agora é a vez do e-commerce. Dei uma conferida nas seguintes farmácias: Onofre, Drogaria São Paulo, Farma & Cia e Droga Raia.

e-drugstorePreciso dar destaque para a Onofre. De todas é a que mais conseguiu alinhar as características da loja com o site. Imitando o recurso do Carrefour, você digita o CEP e logo é direcionado para a página principal. Diferente dos sites das grandes lojas de departamento como Submarino e Americanas, a exposição dos produtos na “prateleira” é bem distribuída e não causa aquela impressão de bagunça. (tudo bem que não há como comparar uma farmácia com uma loja de departamento, ainda mais do porte das que foram citadas agora, mas sempre fico perdido no site delas – talvez seja a imensidão de categorias, parecem nunca mais acabar)

Outro ponto interessante é o posicionamento da marca, já com novo design, voltado para o site: além do slogan “Onofre em Casa” (pode parecer besteira, mas o simples fato de mencionar que é em casa, gera percepção de praticidade ao consumidor), as cores de cada seção lembram o interior da loja. A indicação de produtos semelhantes ou complementares também fazem parte da estrutura de compra. No meu caso, que preciso de um anti-coagulante (vê se pode, um garoto como eu, ainda na casa dos vinte, ter de comprar remédio para veias dilatadas…), tem como opções meias de média compressão – entretanto, são femininas.

Outro detalhe que me chamou a atenção: tanto a loja física como a virtual são direcionadas ao público feminino. Mesmo na seção de Farmácia, alguns dos produtos em destaque são Dermacyd Femina e Lucretin Sabonete Mulher (até o banner do Opti-Free tem uma mulher). Por acaso só mulher fica doente ou precisa de produtos de higiene? Bom, imagino que foram feitos estudos de comportamento e análise do mercado para dar tanta ênfase às mulheres.

Em segundo lugar vem a Droga Raia. Também seguindo o estilo “digite seu CEP”, o site também é bem confortável aos olhos e possui uma busca eficiente. Há seções diferenciadas como a de Infantis e de Higiene masculina (a primeira opção desse menu é ‘barba’). Um ponto positivo é o link bem visível da Anvisa no final da página. Acho que acaba transmitindo um certo ar de segurança, não só no que se refere à transações com cartão de crédito (também tem os links de site seguro), mas toda a preocupação de medicamentos regulamentados, dúvidas quanto às informações do remédio etc. – como você acaba recorrendo ao órgão principal, nada melhor do que ter acesso fácil e direto de onde você está.

Quanto às outras farmácias, senti quase que um amadorismo ao entrar em seus websites. Páginas pobres de informação ou “páginas em construção”, falta de informação dos produtos. O máximo que você vai encontrar são dados institucionais e meios de contato.

Como nem tudo são flores, encontrei falhas que podem se tornar graves no ato de comprar o medicamento. Apesar de ter pesquisado somente um produto, justo esse não continha as informações básicas, como propriedades, composição e modo de usar. Sei que não é uma comparação justa, mas quando não consigo visualizar o playlist de um CD, já descarto a possibilidade de comprá-lo. Não é muito diferente de um simples remédio como a aspirina, por exemplo; suponhamos que o cliente precise da composição dele por causa de uma substância que tenha reação perigosa em seu corpo.

E chegamos em um ponto crítico, ainda mais quando lembramos que brasileiro tem fama de auto-medicação: esse remédio que preciso comprar possui a tarja vermelha (“venda sob prescrição médica”). Na prática, todos sabem que a receita às vezes – ou nunca – é solicitada antes que o remédio seja vendido, mas é um cuidado que as farmácias deveriam ter também no e-commerce. Apesar de não ter efetuado cadastro em nenhum dos sites, até o momento de fechar a compra do carrinho não avistei aviso algum me alertando sobre a tal tarja vermelha.

Em compensação, quando o assunto é tarja preta, os dois sites são precavidos. Como teste, tentei comprar Lexotan. Na Onofre, além de não mostrar o preço, no final da página mostram os alertas de “venda sob prescrição médica” e “o abuso deste medicamento pode causar dependência”; quando você tenta comprar, já aparece um aviso que, por determinação da Anvisa, esse produto não pode ser comercializado pela internet. Na Drogra Raia, achei o processo um pouco duvidoso: assim que você clica no produto, já aparece o mesmo aviso da Anvisa, porém logo abaixo se encontram os telefones de venda com a seguinte frase: “Faça seu pedido no Raia em Casa”. Será que eu posso comprar Lexotan por telefone?

A implantação do e-commerce para redes farmacêuticas pode ser um bom negócio, pois é mais um fator a favor do consumidor: praticidade, rapidez, conforto. Você não precisa mais sair de casa para comprar remédio, a farmácia está mais perto do seu mouse do que da sua própria casa. Claro que medicamento não se compra na mesma proporção que uma bala. Ele tem suas restrições e são essas restrições que as empresas devem se preocupar. Segurança na informação do produto é também segurança para a saúde do consumidor.

José Brandão & Jacacarambola

Tags:

3 Respostas to “Farmácia mais perto do seu mouse”

  1. Farmácia mais perto do seu mouse.. « Pharmaceutico’s Says:

    […] Creditos: José Brandão & Jacacarambola […]

  2. Dr O.liverkall Says:

    http://pharmaceutico.wordpress.com/2008/04/14/farmacia-mais-perto-do-seu-mouse/
    publiquei esta info no meu blog! gostei muito da forma como foi apresentada !
    meus parabens e obrigado por compartilhar a info!

    []’s Dr O.liverkall

  3. giovanna thalia cordeiro Says:

    vcs tem que por no google mais frases para as farmacias vem po
    ne que que isso meu

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: